Pular para o conteúdo principal

Corpo, mente e alma.


Depois que a década de 70 foi considerada o auge da revolução sexual, amparada pela liberdade “hippie”, e a década de 80 ter sido o início de um novo comportamento sexual com a aparição do termo AIDS, os anos 90 foi marcado pela busca de uma vida zen, em equilíbrio com o stress do dia a dia.
Junto, a preservação do meio ambiente se tornou uma perocupação diária e no mundo todo surgiram muitas ONGs onde foram criadas campanhas em prol da natureza.
Em 1992 aconteceu no Rio de janeiro a ECO92, que deu maior visibilidade ao problema em âmbito nacional. Depois disso, ocorreu uma espiritualização do homem que percebeu sua presença no mundo como uma ameaça e tomou consciência de seu corpo material e existencial. Em busca de uma vida mais tranquila, o ser humano foi descobrindo formas de acalmar a mente, que proporcionaram mais harmonia ao seu cotidiano e, por consequência, um pouco mais de responsabilidade e equilíbrio com o ambiente onde vive.
Hoje por exemplo há uma verdadeira “febre” em relação a”malhar” o corpo. Depois, oumesmo antes de um dia turbulento, mais e mais pessoas recorrem às academias e longas caminhadas para se livrar do chamado stress. O exercício físico libera toxinas que geram uma sensação de prazer e dá mais energia pra começar o dia.
Há quem goste de praticar exercícios como o Yoga. Prática milenar que stimula a mente eo corpo de uma forma mais branda.. o Yoga não é considerada atividade física, mas uma filosofia de vida que propõe o auto conhecimento, que para encontrar o equilíbrio, é preciso também exercitar o corpo.
Para quem gosta de liberar ainda mais adrenalina, os esportes radicaissão tipos de exercícios muito difundidos nos dias de hoje e para alguns são a única maneira de realmente deixar a mente livre. Que digam os saltos de pára quedas, asa delta e escaladas de montanhas.
Existem ainda práticas terapêuticas como a Aromaterapia, que usa óleos essenciais, banhos e aromatização de ambientes que servem como tratamento auxiliar de problemas físicos e psicológicos, com o intuito de promover o bem estar.
Adança é vista também como uma terapia corporal que faz bem à mente. Já uma boa noite de sono faz com que acordemos bem dispostos e que as energias gastas durante o dia sejam devidamente repostas. Dormir bem e bastante, ao contrário de ser um desperdício de tempo, prolonga a vida.
No mercado hoje existem muitos tipos de massagens, sendo que algumas são milenares. Mas as relaxantes são as mais indicadas para quem quer acalmar a mente. As técnicas variam de acordo com cada profissional, mas os resultados são sempre compensadores.
As artes também são consideradas uma forma de terapia. Desenhar, pintar, tocar algum instrumento musical, mexer com argila e fazer escultura são expressões que estimulam o lado prático, intuitivo e criativo, além de ajudar a auto estima, enfrentar bloqueios emocionais e ainda promover o auto conhecimento. Ter a arte como ferramenta é iniciar uma busca pelo equilíbrio.
Particularmente, nuca fui de praticar exercícios físicos. Escrever é minha forma de me encontrar em harmonia comigo e com meu espaço de convivência. Ler e escrever são exercícios primordiais para aguçar o lado psicológico e intectual do indivíduo. Combinar expressões, criar rimas, imaginar histórias e procurar o significado de novas palavras reciclam idéias e estimula a inteligência, influenciando atitudes. Escrever como coração transmite verdade, além de promover o equilíbrio entre o corpo e a mente. E mesmo que palavras possam persuadir ou dissimular, a escrita pode fazer transparecer sempre a sinceridade da alma.
De tanto minha namorada Bernadete insistir, acabei a acompanhando numa caminhada até Guará pela Avenida Padroeira do Brasil. Ao passar em frente a um bar, vi um conhecido meu bem tranquilo tomando uma cerveja com um cigarro entre os dedos.
Ele me olhou e disse com ar de ironia: “Deixa de ser bobo rapaz, caminhar pra quê?”...
Deu vontade de parar, mas eu nada respondi. Nada do que pudesse falar não adiantaria. Apenas olhei pro camarada fazendo um sinal de positivo e pensei:
-Pela cronologia natural da vida, a tendência é ele “ir” antes de mim. Eu posso até morrer antes. Mas se eu for pro céu, com certeza vou chegar mais bem conservado que ele...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O chifre

Por conta de minha filha Larissa estar tendo febre há uns três dias, uma tia de minha esposa, em conversa por telefone, foi sucinta em seu comentário: “Essa menina está assustada ou aguada por alguma coisa”... De fato, em duas idas ao pronto socorro, os pediatras não conseguiram detectar nenhum problema mais grave. Não era garganta, ouvido ou algum dentinho nascendo, o que estava causando estranheza pela febre decorrente. Além de dar o “diagnóstico”, a tia foi logo dizendo o “antídoto” para a cura: chá de hortelã com raspas de chifre de carneiro. Vivi entre as crendices populares típicas de cidades do interior. Convivi com todos os meus avós e minha mãe, nos arautos dos seus 78 anos, ainda prega essa cultura popular de usar plantas e métodos pouco convencionais para curar algum mal. Assim sendo, mesmo cético para algumas coisas na vida, lá fui eu tentar encontrar o tal chifre... Não me aventurei em outro lugar sem antes passar pelo mercadão de Guaratinguetá. A minha intuição estava a…

A Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida

Segundo o relato daquelas humildes pessoas, foram tantos peixes logo conseguido, depois de “aparecida” a imagem, que a canoa ficou cheia. Até ameaçava afundar. Alegraram-se muito com o ocorrido e foram levar o pescado à Câmara Municipal de Santo Antonio de Guaratinguetá, mas primeiro passaram pela casa de Felipe Pedroso e deixaram a preciosa encomenda confiada aos cuidados de Silvana da Rocha, mãe de João, esposa de Domingos e irmã de Felipe. Puseram-na dentro de um baú, enrolada em panos, separada uma parte da outra.
A casa de Silvana foi o primeiro oratório que teve aquela imagem e ficou com ela cerca de nove anos, até 1726, data provável de seu falecimento. Assim tornou-se herdeiro da imagem seu irmão, Felipe Pedroso, o único sobrevivente da milagrosa pescaria.
Sua casa foi o segundo oratório, por seis anos, perto da Ponte do Ribeirão do Sá (proximidade da atual Estação Ferroviária) e também o terceiro, por mais sete anos, na Ponte Alta, para onde se mudara. Em 1739, Felipe Pedroso …

“Heart and Soul”, homenagem ao Nicolau Samahá.

Mesmo mais de trinta anos após sua morte, sempre ouvimos falar de que “Elvis não morreu”. Contudo, Elvis é ainda “o morto que mais vende discos em todo mundo” até hoje. O branco que tinha voz de negro. Elvis deixou este plano no dia 16 de agosto de 1977.
Quando criança, todo dia eu subia à Praça da Igreja Velha pra levar almoço pro meu irmão Roberto Dias que trabalhava no Foto JK. Subia distraído e ficava encantado com os brinquedos dependurados nas portas das muitas lojas que supriam o caminho que levava até à praça. Mas era uma loja em especial que me fazia chegar atrasado ao meu destino: a Loja do Nicolau Samahá. O dia inteiro o ele ficava tocando na vitrola as músicas inesquecíveis do Elvis Presley que me deixavam encantado. Fora isso, as paredes de sua loja eram forradas com pôsteres gigantes do Rei do Rock por todos os cantos. Ele também se fazia parecer muito com o ídolo: Alto, cabelos com topete e costeletas enormes. Camisas chamativas e de golas altas. Parecia o próprio Rei do…