Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2012

Salvação

Num resgate histórico, desses que assombra o mais cético dos mortais, ela conseguiu driblar a importância dos meus valores e me recolheu.
Recolheu-me mesmo quase aos pedaços, pois a boemia me reduzia ao lastro de um nada sem cor e sem brilho que eu não percebia.
Vi meus projetos começarem a ruir. Percebi que os dela eram mais contagiantes. Os meus, giravam em torno de sonhos boêmios. Os dela tangiam de realidade as possibilidades concretas de serem.
Logo meu terno branco e meu chapéu Panamá ficaram expostos ao esquecimento. Ela me cobriu de importâncias e me deu uma certa luz. Tirou o mofo do lugar, abriu as janelas, fez o vento circular feito revolução. Aguçava meu raciocínio e cantava pra mim arranhando com extrema leveza seu violão. Foi aí que revi minhas tendências que já estavam enraizadas e estabelecidas.
Na surdez que beirava o silêncio, fez de meu gosto algo eclético e desde então não manipulei mais minhas preferências. Ela sempre dizia que assim era mais fácil não trair as escolh…

Guiado

No astrolábio
do tempo
em teu lábio
me oriento.

Azares

Saí de casa tentando me precaver com a data: sexta-feira 13.
Logo cedo invadi o dia e, descendo com toda pressa a rua da minha casa, um gato preto, desses bem típicos para o dia atípico, atravessa em minha frente sem pedir licença e, distraído, não consegui frear o carro, passando por cima do coitadinho do bichano que ficou lá, amassado no asfalto.
Durante todo o dia, mais de sete carros passaram por cima do animal extinguindo de vez suas outras vidas subseqüentes até um gari recolher o que sobrou dele.
Isso mesmo é que é azar...

Inspirado

Há um incêndio enfumaçando a noite.
Almas escorrem luzentes pelo candelabro.
Os corpos queimam assim
o desejo lampejo
de compor o fim...

d'outro lado

O cemitério afundado,
que escolhe a vastidão de homens,
é ao mesmo tempo viajante.
É como se gárgulas chorassem almas
para o fundo eterno da terra/céu
de um lamento.

Soltura

Que
a grade
agrade
a liberdade
que invade...