Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Resistência

Antes que a escuridão batesse à porta, examinou bem as trancas. As janelas já estavam bem fechadas. Por ali não entraria.
O portão, já revestido pelo escuro da rua, estava receoso, tentando acreditar na força enferrujada de um velho cadeado. Mesmo assim, era quase certo, por ali não passaria.
As portas fechadas dos bares ilustravam o quão preocupante e nefasto era o momento.
As escolas foram todas fechadas para que ali não entrasse. Aquilo jamais deveria apoderar-se daquelas mentes inocentes.
"Na igreja ele não ousaria", pensou-se. Mas a fé nessa ideia era vã e as portas do templo também foram trancadas.
As luzes dos postes, há muito tempo apagadas, iam colaborando com o breu. Pela escuridão seria difícil aquilo encontrar qualquer lugar para adentrar.
A emergência estava às escuras. Ninguém curou ou foi curado.
Nenhum carro imprimiu a velocidade na noite. Tudo estava propenso ao desarme. Seria difícil aquilo transpor uma barreira de ideais.
O andarilho ainda teve a audácia inconscie…

Últimas postagens

As ruínas da nossa História (02)

As ruínas da nossa história (01)

Ratos no porão

Está faltando o Cartola...

O memorável “Bar Ca..."

Pouco inspirado

Carnaval com segurança

Um recado congelado no tempo (2º Lugar no XXVI Concurso de Contos da Biblioteca de Aparecida 2015)

Jogo da vida

Aparecida Antiga e os piratas virtuais