Bem e mal.




Em defesa desta plenitude que verseja,
Deus imprime a vida
neste sol fantástico que se agiganta
rachando mamonas da perseguição
às minhas costas enquanto escrevo.
A noite, enquanto dormi,
Ele bailava entre estrelas
e assinava em segredo
meus sonhos inspirados da inconsciência.
Ele se apossa desta proteção
fazendo-me amassar o pão
que o diabo comeu dando socos em seu estômago.
Sua maior angústia é fazer crer que não existe.
Ao contrário de Deus que dá provas
a todo instante de que está em tudo
e muitos não crêem nele.
Mesmo assim ele não pára,
se reinventando no ar que nunca se vê.
Tenta imitá-lo a persistência do diabo
que ainda chora de dor depois de vomitar
parte de sua maldade enraizada.

Comentários