O ciclo


Depois de dez anos escrevendo em vários jornais e revistas e dois livros publicados, quero exaltar hoje a minha alegria, satisfação e honra pela publicação do meu texto intitulado “Os 130 anos da Imprensa Escrita em Aparecida” no Jornal O Aparecida, edição do dia 15 de novembro.
Amparado pela confiança dos jornalistas Arthur Marques e Rogério Braga, tendo também a chancela do mago das artes gráficas, o poeta e também jornalista Marco Reis, pude enfim ter um texto meu publicado pela primeira vez neste periódico que completou 37 anos de existência.
Ao ter essa grande oportunidade pude recriar minha responsabilidade. Pois, como já me disse muita gente por aí, “há peso no que escrevo”.
Com muita humildade, absorvo cada frase e vou mudando muito para continuar sendo eu mesmo. Pois, não adianta ter a alcunha de escritor, ter mil palavras a dizer quando se tem um nó na garganta. É preciso estar preparado para se formar opinião. 
Eternizar a nossa escrita fundamentada em ideias concebidas de verdade e coração é que poderá ampliar nossos horizontes. Sejam nossas memórias registradas a lápis, em jornais ou em páginas virtuais na internet. Isso é história.
E nesse universo atual, nada tem mais importância que meus leitores. Eu também os coleciono, guardando a todos com valor de diamantes. Diamantes que com o peso e o quilate de seu cotidiano poderão me ajudar a eternizar e difundir essa literatura urbana da Terra da padroeira do Brasil. 

Obrigado à todos da Redação do Jornal O Aparecida!