Os acordes eternos da Aurora Aparecidense.


Depois de beirar a extinção por descuido do tempo e dos homens,no dia 04 de junho último, dia frio, na chácara do professor Alexandre Lourenço, Bairro do Pedro Leme, em Roseira, os acordes da Corporação Musical Aurora Aparecidense conseguiram acessar o âmago dos corações presentes que também puderam resgatar na essência da memória momentos marcantes e pessoas inesquecíveis.
Depois da apresentação feita pelo amigo Tadeu Fonseca, ilustrando parte história da mágica corporação, a retreta iluminou e estendeu a alegria no recinto, escrevendo em pura preciosidade um trecho dessa vida que irá completar em julho 125 anos de existência quando começou a tocar o dobrado "Dois Corações", de Pedro Salgado.
Compareceram na apresentação o professor e jornalista Alexandre Lourenço, o historiador e jornalista Benedicto Lourenço Barbosa, também responsável pelas expressivas iguarias do seleto cardápio do dia, o jornalista Reinaldo Cabral, o poeta e jornalista Marco Reis, o escritor Wilson Gorj, o artista plástico Jorge Azeredo, o músico e professor Rogério Souza, o escritor Maurílio Reis, o comerciante Renato Chad, o artista plástico Beto Leite e o escritor e jornalista Lúcio Mauro Dias, bem como os integrantes da velha e da nova fase da distinta corporação.
Caída a noite, extremamente fria, houve tempo ainda para o escritor Lúcio Mauro improvisar uma placa em papelão onde se sentenciou o registro do solene dia que seguiu:
“AOS QUATRO DE JUNHO DO ANO DE DOIS MIL E ONZE
A LEGENDÁRIA BANDA AURORA APARECIDENSE
ETERNIZOU ACORDES NESTE RECINTO”


Ouça Dois Corações (Pedro Salgado) no link:
http://www.4shared.com/audio/RF2Xe4fa/04_Dois_Coraes_-_dobrado.html

Comentários