Minúcias Poéticas | Por Wilson Gorj



Uma das missões do escritor é a de ser porta-voz de sua gente. É sua função traduzir pensamentos e sentimentos cifrados, clarear os meandros da vida e esclarecer a confusão do seu tempo. Ter coragem para dizer aquilo que muitos preferem calar. Ser o olhar atento para tudo que o rodeia; a palavra para aqueles que não a tem. Ao escritor cabe apontar novos caminhos, denunciar as injustiças, explicar o mundo. Seu ofício é quase um sacerdócio.
Lúcio Mauro Dias vem cumprindo com mérito essa tarefa. Seus textos sabem resgatar a história, destacar o cotidiano e a realidade ao seu redor. Sabem ainda homenagear ou projetar uma atenção carinhosa às figuras relevantes e até mesmo pitorescas com as quais cruzamos pelas ruas de nossa cidade. Assim é o colunista Lúcio Mauro, cujas crônicas já são bem conhecidas dos que acompanham os jornais da nossa região. O Lúcio contista, vencedor do concurso “Aconteceu em Aparecida”, também é um conhecido do leitor aparecidense. Falta agora tornar público o Lúcio poeta, o qual vem talhando à sombra de sua prosa os versos minimalistas que fazem parte do livro Minúcias poéticas, a ser lançado no dia 15 de julho, na Câmara Municipal de Aparecida, às 19:30hs. A obra será publicada pelo selo 3x4 | microficções, da editora Multifoco (RJ).
Criado há pouco mais de um ano, o selo já conta com autores de vários estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Sul. A qualidade e a universalidade dos “poemínimos” de Lúcio Mauro colocaram-no ao nível desse time seleto.
A seus versos concisos, repletos de leveza e simplicidade, não faltam ironia, reflexão, lirismo, irreverência, nostalgia. Um livro para ser lido de uma só vez, dada a facilidade, a dinâmica dos pequenos poemas; ou aos poucos – um a um, gole a gole –, como um bom vinho.
Abaixo, reproduzo uma amostra aleatória da obra que em breve estará ao alcance de nossos leitores:

Ressaca poética

De dia,
a queimação do sol.
De noite,
a azia da lua vazia.
De repente,
o céu vomita estrelas.
* * *

Confissão

Aos milhares,
o cristão fraqueja.
E o pecado continua sendo
um dos pilares
da Igreja.
* * *

Saudades da escola

Seis
Conceição
doze.
Minha professora
de matemática
inesquecível.
* * *

Paixão cega

O ouro da aliança
em sua mão
pagou a fiança
de um amor ladrão.
* * *

Reciclagem

Os peixes esvaíram-se
no Arpoador.
O lixo do mar
vai dando sustento
ao pescador.
* * *

Depressivo fim

Envenenou-se.
Embrenhou-se
no fio da foice.
E foi-se.

Comentários