As obras monetárias do acaso...


Era minha última moeda de Real no bolso.
De frente a uma casa lotérica, quis brindar a sorte e decidi comprar uma daquelas "raspadinhas" que remetem-nos ao prêmio quando aparece o valor por três vezes.
Até que fila andou rápido...
Dei a moeda e recebi a tal raspadinha. Com uma das minhas chaves raspei esperançoso na fortuna fácil e eis que vi ali três vezes o valor de 1 Real.
Volto para a fila, agora um pouco mais comprida e pedi que me trocassem a premiada por outra cartela. Assim fiz por quatro vezes a mesma coisa, pois o "grande prêmio" de 1 Real me perseguia.
Outra vez na fila, acabei por dar a minha vez pra uma senhora que, cheias de sacolas dependuradas nos braços, queria quitar um boleto e, de troco, pegar uma raspadinha.
Uma última ainda ficou bem visível na vitrine da lotérica.
Não preciso dizer que a raspadinha da mulher estava premiada com um valor de 100 Reais e a minha, a última da vitrine, nem se quer me proporcionou uma nova troca...

Comentários