Sem fronteiras.



É o silêncio da inspiração solitária
que vai atingir um dia
a força da sensibilidade coletiva.


Em maio de 2010 através da internet eu criei este blog “Memórias de uma Província”, onde pude inserir em seus arquivos tudo (ou quase tudo) que estava esquecido na memória do meu computador.
Castrado e ignorado muitas vezes pelos donos e editores de vários jornais e revistas que por interesses políticos publicam somente coisas inerentes ao patrocínio de suas páginas, pensei em uma maneira de poder reescrever esta liberdade e postar minha literatura de forma mais independente e mais ampla, onde a internet não tem limites.
Hoje, quase um ano depois já recebi quase mil acessos e vários comentários e criticas, no qual sempre me espelho para melhorar se não o conteúdo, mas o enredo do que escrevo. No mundo virtual é pouco, mas é um inicio surpreendente e gratificante, pois o blog em si não foi tão divulgado como é necessário e fica a mercê dos internautas que viajam sem compromisso pela net.
A cantora Pitty escreveu na Ilustrada da Folha em 25 de maio: “existimos e pleiteamos nosso espaço neste latifúndio”. Me inspirei nestas palavras e hoje consigo expor idéias, histórias e causos que tentar resgatar a memória coletiva do lugar onde me insiro, restaurando os passos de gente simples e inesquecíveis junto de suas distintas importâncias no cenário desta província.
A censura foi fazendo então parte de um passado recente que mostrou o desprezo desta literatura urbana diante da síndrome do pequeno poder que alguns detêm com seus impressos, amparados numa anti poesia restrita apenas na informação paga, sem nenhuma função literária que o valha na inserção da cultura já muito esmagada.
Mesmo assim, agora como jornalista responsável, vamos reativar a circulação do Informativo “O Varejista” da cidade de Guaratinguetá. Jornal que circulou por quase 20 anos sob a direção do Presidente Ricardo Medeiros, do Sincovag. Essa empreitada vem bem no momento em que, se nem todos tem acesso ao blog, pelo menos terão a oportunidade de conferir no papel as mais recentes postagens dele, sob os cuidados do jornalista responsável, que sendo eu mesmo, não coloca medo de censura. Nem mesmo da própria consciência. Isso sem falar na colaboração que tenho dado para o Jornal Correio Paulista de Guaratinguetá, que sob o comando do camarada Hélio Naideg, está prestes a comemorar 100 anos em 2014.
É assim que vamos retificando as delicias da liberdade da escrita do mundo atual. Impresso ou não, vamos tentando resgatar o cotidiano escondido em cada conversa informal, em cada esquina, em cada boteco e tendo a internet como importante aliada da memória que tentamos eternizar. Memória que vai desenhando em silêncio a história do lugar.

Comentários