Bodas de Jequitibá - Os 100 anos do Jornal Correio Paulista de Guaratinguetá 1914/2014


A imprensa no Brasil teve um nascimento tardio, como também foram tardios o surgimento do ensino superior, a independência política e a abolição da escravatura.
Fatores assim geraram um legado de analfabetismo e concentração de renda que até hoje se desenham como condicionantes da evolução da imprensa brasileira.
Os vários períodos de regime de repressão como a Era Vargas (1930-1945) e os governos militares (1964-1984) afetaram de várias formas o desenvolvimento da atividade jornalística. Apesar disso, o Brasil tem um número apreciável de jornais que têm revelado uma capacidade notável de inovação técnica e editorial, o que lhes permitiu vencer todos os desafios surgidos até hoje.
Divulgando informações, os jornais evitam a ditadura do conhecimento. Permitem compreender melhor os fatos , os costumes, as crenças e os valores de uma época.
O jornal mais antigo do mundo ainda em circulação é o Post och Inrikes Tidningar, da Suécia, fundado em 1645. Tornando-se Centenário, o Jornal Correio Paulista entra agora pra um seleto grupo onde o Jornal Diário de Pernambuco é o mais antigo em circulação no Brasil, fundado em 07 de novembro de 1825. Em Pindamonhangaba, o Jornal Tribuna do Norte circula desde 11 de junho de 1882, tornando-se o mais antigo na nossa região.
O primeiro jornal a circular em Guaratinguetá de que sem notícia foi O Mosaico. Desde então vários outros puseram em evidência os fatos mais noticiáveis em circulação. Uns com vida efêmera, outro porém com longa duração.
O Jornal do Brasil foi o primeiro jornal brasileiro na Internet desde 1994 e após 119 anos deixou de circular em versão impressa em setembro de 2010. Em 2012 o Jornal da Tarde, que circulou pela primeira vez em 1966, também deixou de ocupar espaço nas bancas, passando a existir somente me versão on-line.
Os 100 anos do Jornal Correio Paulista evidencia essa importância com extrema habilidade num tempo onde a mídia digital prevalece.
Mais do que colocar um jornal nas ruas, mantê-lo em circulação é quebrar paradigmas criados por grupos, remontando assim as cenas do nosso cotidiano.
A magia com que o proprietário Hélio Naideg se debruça sobre o Correio Paulista é digna de registro. É a história contada. É histórico!
Parabéns ao Jornal Correio Paulista pelas Bodas de Jequitibá.